Laboratório de Microestrutural

O laboratório tem como finalidade dar suporte a estudos texturais. Ele tem sido utilizado principalmente para análises aplicada a depósitos de minério de ferro associados a BIFs.

Equipamentos disponíveis

  • Medidor de Anisotropia de Susceptibilidade Magnética AGICO (para campo de baixa intensidade)

  • Computador com programa OIM para análise de medidas de difração de elétrons retroespalhados (EBSD), em colaboração com o Centro de Microscopia da UFMG onde encontra-se Microscópio Eletrônico de Varredura FEG - Quanta 200 FEI com detector integrado Pegasus: EDS (espectrômetro de raio-x de energia dispersiva) e EBSD (difração de elétrons retroespalhados).

Projetos de Pesquisa

    Origem dos Corpos de Minério de Ferro de Alto Teor: Os Magnetititos e sua Oxidação

    Estudo da formação de corpos magnetíticos, seus condicionantes e sua evolução, efetuando estudos comparativos em depósitos correspondentes a dois tipos que ocorrem em ambientes geológicos distintos: seqüências plataformais paleoproterozóicas e seqüência arqueanas e procurar estabelecer critérios de prospecção e pesquisa mineral . O projeto utiliza de tecnologia ICPMS por ablação a laser para analisar a concentração de elementos traço em óxidos de Fe e outros minerais e inclusões fluidas alem de análises de isótopos estaveis em BIFs e corpos mineralisados para entender as transformações ocorridas durante os processo hidrotermais que levaram ao eniquecimento de minérios hipogenicos.

    Características e Origem dos Minérios de Ferro Associados à Formações Ferríferas Bandadas Pré-Cambrianas

    Estudo da origem dos minérios de ferro associados à formações ferríferas bandadas de diferentes províncias metalogenéticas brasileiras Quadrilátero Ferrífero, Serra da Serpentina, Carajás) e comparação com outros depósitos no mundo(Australia e África do Sul). São desenvolvidos estudos de geologia estrutural, estratigrafia e geocronologia e petroquímica em diferentes sequencias de BIFs.

    Estudo da Textura, Anisotropia e Mecanismos de Deformação do Minério de Ferro do Quadrilátero Ferrífero

    Análise estrutural das unidades do Supergrupo Rio das Velhas e Minas e estudo da relação entre as estruturas tectônicas e as características mineralógicas, texturais e micro-estruturais do minério de ferro. Execução de ensaios de deformação experimental para o entendimento dos mecanismos de deformação atuantes na hematita e outros minerais componentes de formações ferríferas bandadas.

Clique nas imagens para dar zoom


Figura 1 - Mapas de orientação cristalográfica em minério xistoso separados em duas populações de acordo com a forma dos grãos na secao (GAR). Cores segundo figura de pólo inversa representada embaixo.


Figura 2 - Mapas de orientação cristalográfica de acordo com ângulo entre grãos em minério xistoso separados em duas populações: domínio de foliação contínua e anastomosada Histogramas representam variação nos valores dos ângulos medidos/calculados.

Contato

Sala: 1036

Telefone: (31) 3409-6336

Coordenador: Prof. Carlos Alberto Rosière

E-mail: crosiere@gmail.com

Pesquisas ambientais - NGqA