Rochas Ornamentais

e de Revestimento Definições e Aplicações, Classificação e a Importância da Caracterização Tecnológica

O que são e quais são as possíveis aplicações para Rochas Ornamentais e de Revestimento

Rocha ornamental
Segundo definição da ABNT, Rocha Ornamental é um material rochoso natural, que submetido a diferentes graus ou tipos de beneficiamento, pode ser utilizado para exercer uma função estética, com aplicações em monumentos, esculturas, arte funerária, bancadas, colunas edificações etc. Cabe também definir rocha ornamental como sendo aquele material com um padrão estético e com função estética e/ou estruturante em uma obra de construção civil.
Rocha de revestimento
Segundo definição da ABNT, Rocha de Revestimento corresponde a um produto de desmonte de blocos de dimensões variadas. Deste desmonte resultam chapas, que mais tarde podem ser polidas e cortadas. Dependendo do tipo de rocha, placas podem também ser extraídas diretamente. Assim, resultantes de corte ou da extração direta, podem ser submetidas a diferentes processos de desdobramento e de beneficiamento e podem ser utilizadas no acabamento de superfícies tais como pisos e fachadas, em obras de construção civil.
Padrão Estético
Toda rocha ornamental deve ser identificada por um padrão estético, que leva em conta a cor, a textura e a presença ou não de estruturas nessa rocha. Essas características por sua vez são determinadas pelos processos geológicos responsáveis pela formação dessa rocha e pela presença de determinados minerais, orientações, deformações etc.
Aplicações e beneficiamentos mais frequentes para as rochas ornamentais e de revestimento
• No revestimento externo de edifícios
• No revestimento interno - pisos, escadas, paredes etc
• Em colunas e pilares
• Em bancadas de pias e lavatórios
• Na produção de móveis diversos, tampos de mesa e peças de decoração
• Na urbanização de praças e jardins
• Na arte funerária
Beneficiamentos ou tratamentos aplicados em rochas com aplicações ornamentais ou de revestimento:
Apicoamento
• Tipo de acabamento rústico, produzido manual ou mecanicamente pela ação de pontões na superfície d placa ou da porção de rocha. Este processo torna a rocha anti-derrapante;
• Aumenta a porosidade da rocha, aumentando a possibilidade de acesso de agentes destrutivos e tornando a limpeza onerosa e mais difícil;
Levigação
• Processo de desgaste obtido com a utilização de abrasivos de granulação grossa. A rocha não apresenta brilho.

Flameamento
• Obtido através do aquecimento da rocha, com queima da superfície da mesma. O desprendimento de cristais gera uma superfície descontínua de aspecto áspero. Gera grande efeito estético.
• Reduz a resistência dos materiais (± 30%), aumenta o número de microfissuras, aumentando a sua capacidade de absorção, facilitando o acesso de agentes destrutivos e tornando a limpeza onerosa.

Tingimento
• Processo que envolve a utilização de corantes especiais, produzindo efeitos (muito) duvidosos;
• Não há garantia de manutenção da cor, em função da utilização e ação de inúmeros agentes químicos contidos nos produtos de limpeza.

Polimento
• Processo de abrasão com a utilização de pós abrasivos de granulometria sucessivamente fina, com o objetivo de fechar os poros da rocha e gerar uma superfície contínua com brilho. Nas fases finais é empregado o carbureto de silício, fixo nos cabeçotes rotativos.

Lustração
• Processo de abrasão com a utilização de materiais especiais como o óxido de estanho aplicado com feltro, para granitos e o ácido oxálico para os mármores. Normalmente indicado para rochas escuras (mármore preto);
• O brilho obtido com este processo é temporário. O processo não substitui o polimento e pode ainda evidenciar pequenas características físicas, como manchas;



Produção Acadêmica



Links, publicações e eventos

LABTEC Rochas
CPMTC | IGC | UFMG